Existem muitos animais precisando de um lar, mas antes de adotar, lembre-se que ele viverá em média 10 anos, e dependerá sempre de você. A maioria dos animais para adoção é adulta, adaptáveis a mudanças e muito gratos por ganharem uma nova oportunidade de vida. Amigo não se compra, adota-se! 

O CCZ - Centro de Controle de Zoonoses oferece apoio ao munícipe que necessita de orientação e até mesmo castração. Os interessados nos serviços de castração devem comparecer ao CCZ, com seu animal, das 08h30 às 11h30 ou das 13h30 às 16h30 para passar pela triagem. O CCZ está localizado na Rua Projetada - Quadra C Lote 09 - Pequenos Animais (Cinturão Verde). 

OUTRAS SUGESTÕES:

Vacine seu cão anualmente: Dessa forma você o protege de várias doenças;

Identifique seu animal: A maioria dos animais de rua está perdida. Uma pequena parcela deles foi abandonada, por isso, identifique seu animal. Esta simples providência pode ser a solução, caso seu amigo venha a se perder;

Mantenha portões bem fechados: Assim você se previne e protege seu amigo.

Cuide de  seu animal: Dê sempre água, comida, carinho e, quando necessário, assistência veterinária;

Eduque seu animal: Se necessário adestrá-lo, procure um profissional idôneo que respeite o animalzinho;

Ao passear com ele: Sempre o conduza por meio de coleira de guia, recolha e jogue os dejetos em local apropriado;

Jamais o abandone: Nem que ele fique doente, velho, que você mude para um lugar melhor, ou que ele roa seus sapatos. Lembre-se ABANDONO É CRIME!

Mantenha-o em local limpo: Limpe frequentemente o local onde vive seu amigo;

Banhos e Tosas: São fundamentais, principalmente para cães;

Pulgas e carrapatos: Podem levar o seu amiguinho a doenças severas. Verifique sempre a pelagem de seus animais;

Tele sua casa: Se você tem gatos, é fundamental telar sua casa. Muitos gatos são atropelados ao saírem de casa para passear ou acabam sendo envenenados;

Observe sempre seu amigo: Essa é a melhor forma de garantir seu bem-estar. Qualquer alteração em seu comportamento pode indicar alguma doença; 

Lembre-se: cuidados veterinários custam dinheiro, pense se você terá condições de fornecer ao seu animal tudo aquilo que ele necessitará. 

DESTINAÇÃO DE ANIMAIS MORTOS

O CCZ recolhe animais mortos quando estes forem de interesse em saúde. Os animais mortos de interesse em saúde são aqueles suspeitos de alguma doença que pode ser transmitida a seres humanos (zoonoses) que precisa ser monitorada: exemplo, o diagnóstico da raiva (hidrofobia). 

ANIMAIS DE INTERESSE EM SAÚDE: 

Cães ou gatos:

Que morderam/arranharam pessoas nos 10 (dez) dias que antecederam a morte; Que tiveram contato com morcegos nos últimos seis meses antes de morrer; Que foram mordidos/arranhados por animais desconhecidos nos seis meses que antecederam o óbito; Que convivem ou tiveram contato com sagui/macacos;  Atropelados; Com sinais clínicos neurológicos (convulsão, tremores, andar cambaleante, salivação, mandíbula paralisada; Que morreram subitamente; 

 ANIMAIS SEM INTERESSE EM SAÚDE:

 O proprietário deve entrar em contato com o Serviço de Limpeza Pública, telefone 3743 6065. 

ATENÇÃO! PARA MORCEGOS MORTOS OU VIVOS EM SITUAÇÕES ANORMAIS, CAÍDOS AO CHÃO: 

Cubra o morcego morto ou caído ao chão com um pano, balde ou caixa e não permita que nenhuma pessoa ou animal encoste. Não manipule o morcego. Solicite a coleta do morcego pelo telefone 3743 6077 (CCZ – Centro de Controle de Zoonoses  

ATENÇÃO: Se o cão ou gato mordeu ou arranhou alguém nos dez dias que antecederam a morte, ele é um animal de interesse em saúde e, portanto, não deve ser descartado e sim encaminhado ao CCZ, conforme orientações acima.  

DEMAIS INFORMAÇÕES:

Muitas pessoas acabam adquirindo um animalzinho por impulso, sem levar em consideração alguns fatores extremamente importantes para tomar esta decisão. 

Antes de optar pela companhia de um cão ou gato ou qualquer outro animal doméstico, é necessário estar atento às seguintes informações: 

Características do animal, tais como:

Tamanho quando adulto (no caso de adquirir um filhote) para adequação do espaço físico;

Características comportamentais: ativos, calmos, carentes, brincalhões. Este tipo de informação torna-se importante para adequar o comportamento do animal à rotina diária do proprietário;  

Custos de vacinação e tratamentos de saúde em casos de enfermidades. Os animais podem ser vítimas de doenças brandas de fácil tratamento a doenças complexas, as quais podem ter um custo de tratamento elevado e maior tempo de recuperação do animal, exigindo muita disponibilidade, paciência e carinho por parte do cuidador. 

Custo mensal com alimentação de boa qualidade, banhos, produtos de higiene, medicamentos (em casos de administração de medicação continuada); 

 Tempo disponível para interagir com o animal e lhe dar atenção; 

 Aceitação de todos os membros da família com a vinda de um animal para casa. Divergências entre os familiares podem causar uma situação muito estressante tanto para humanos como para os animais. E os animais são os mais prejudicados; 

Tempo de vida do animal: cães e gatos podem viver mais de 15 anos, portanto, deve-se ter em mente que ele precisará de toda atenção, carinho e cuidados durante muitos anos. 

A partir do momento em que é tomada a decisão de introduzir mais um membro à família, algumas regras importantes de posse responsável devem ser observadas: 

Cuidados básicos de higiene e alimentação:

Informe-se com o veterinário responsável qual a melhor ração para alimentar seu animal. As rações comerciais já fornecem todos os nutrientes, vitaminas e minerais de que ele necessita. Mantenha a vasilha de comida em lugar seco e protegida do sol. 

Deixe sempre uma vasilha com água suficiente à disposição do animal, em lugar limpo, arejado e com sombra. Troque a água diariamente e mantenha as vasilhas de água e comida sempre limpas, lavando-as com água e sabão. 

Dê banhos regulares em seu cão. Verifique com o veterinário responsável qual o intervalo necessário entre os banhos para que ele fique sempre limpo. As escovações também são necessárias, principalmente em animais de pêlo longo, para que não formem bolos de nó, o que pode causar desconforto e até doenças de pele. 

Acomodação: mantenha o animal sempre em um local protegido do sol, frio, chuva e correntes de vento. Deve também ser distante do local onde ele faz suas necessidades fisiológicas. Coloque um tapete, pano ou cobertor para que ele possa se aquecer, principalmente à noite e em dias mais frios. 

Se optar por uma casinha, verifique o tamanho adequado para que ele possa se acomodar confortavelmente. Se possível, opte por um lugar de acomodação que seja mais próximo da família. 

Saúde física: leve seu animal regularmente ao veterinário para vacinações anuais, controle de vermes e outros parasitas como pulgas e carrapatos.