4ª Edição: Abril Verde: Em prol da vida! Abrace essa ideia!!!!

O Movimento Abril Verde, uma iniciativa da Secretaria Municipal de Saúde, através do CEREST – Centro de Referência em Saúde do Trabalhador, que junto a seus parceiros desenvolvem ações de promoção, proteção e prevenção a saúde dos trabalhadores.

Iniciado em 2015, o movimento tem o objetivo de mobilizar a sociedade para prevenção das doenças que ocorrem em decorrência do trabalho, bem como comprometer a todos os segmentos de saúde e segurança na redução de acidentes e doenças do trabalho.

Trabalhar SIM! Adoecer NÃO!

Por que no mês de Abril?

No dia 28 de abril, pessoas de todo o mundo promovem o “Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho”.

A data foi instituída por iniciativa canadense e escolhida em razão de um acidente que matou 78 trabalhadores em uma mina no estado da Virgínia, nos Estados Unidos, em 1969. No Brasil, em maio de 2005, foi promulgada a Lei No. 11.121, criando o Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho.

Abril Verde 2018: Em prol da vida! 

Apoiar essa iniciativa é acreditar que se pode fazer mais por um trabalho saudável e sem acidentes. Somente com o envolvimento, com a troca de informações, é que se pode favorecer uma cultura de prevenção à vida e à saúde no ambiente de trabalho.

O Brasil ocupa, atualmente, o 4° lugar no mundo em acidentes de trabalho, com uma média de 700 mil registros de acidentes ao ano, o país fica atrás somente da China, Índia e Indonésia, segundo dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT). No Brasil, são quase 4 mil mortes anualmente em decorrência de acidentes de trabalho.

Em nossa região já são 41 acidentes fatais nos últimos 10 anos e mais de 2.852 acidentes graves registrados no SINAN – Sistema Nacional de Notificação. Infelizmente na região de abrangência do CEREST de Ilha Solteira em menos de 10 meses (de maio de 2017 a março de 2018) ocorreram 9 mortes decorrentes de acidentes de trabalho.

Por este motivo a 4ª Edição, deixa de ter o ponto central em Ilha Solteira, e passa a ação ser na região envolvendo vários segmento da rede SUS, para o fortalecimento e planejamento de uma operação conjunta no enfrentamento das ocorrências de acidentes fatais e graves.